terça-feira, março 03, 2009

Para quem ainda tinha dúvidas...



Psychologist urges: sing for your health by Bill Bowder

CHORAL singing is good for health, a Swedish psychologist has reported, after conducting research into the long tradition of choral music in Sweden.

The psychologist, Dr Maria Sandren, from the University of Stockholm, will be presenting her findings at a seminar in Canterbury Christ Church University’s new centre in Folkestone on 29 April.


Sweden is a good place to study the effects of choral singing because one in five Swedes sing in a choir, she said. “Results indicated that choral singing had strong effects on the well-being, in that positive emotions increased significantly, and, in turn, negative emotions radically subsided. Choral singers, particularly women, are happier, more alert and relaxed after a rehearsal.”


Much less was known, however, about how the content of songs affected the singers’ health, Professor Stephen Clift, the director of the research centre that organised the seminar, said last week. But there was anecdotal evidence: at a recent performance at the university of Verdi’s Gloria and Rutter’s Requiem “a number of singers referred to the religious character of the music and the impact it had on them.”

8 comentários:

Raul Avelãs disse...

"One in five Swedes sing in a choir" !!! Tal qual como em Portugal.. Somos mesmo um país(inho) muito triste...

Raul Avelãs disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raul Avelãs disse...

Por acaso já tinha reparado que as meninas ficam mais felizes, mais despertas e relaxadas após o ensaio, mas pensei que fosse por causa do maestro, afinal, não é... Agora fiquei triste...

Ana Cláudia disse...

Hey you!!!Yo!!!
Pianoman!!!

Há por aí algum artigozinho a dizer que tocar piano torna as pessoas mais felizes?...

Pianoman disse...

Mais felizes, isso depende. De quê? do chato do professor que se apanhar...

Agora, uma artigo a dizer que tocar piano torna as pessoas mais inteligentes, isso há (por exemplo) AQUI. Eu sei...não precisavas ler nenhum artigo destes, porque a evidência está à frente dos olhos de todos. É só tomarem como exemplo o virtuoso pianista que toca com vocês.

Ana Cláudia disse...

Sabias que não me ias deixar ficar mal e que irias logo encontrar "uma" artigo...

Já ouvi falar sobre esse tal de "efeito Mozart"... Parece que foi divulgado por altura dos Exames nas Faculdades e que a venda de cds com obras deste compositor disparou...
Nos EUA, claro...

Raul Avelãs disse...

Pois, também li umas coisas sobre isso.. E parece que, afinal, isso não será bem assim. Aliás, para grande pena nossa, parece que os apregoados benefícios da música e da sua aprendizagem sobre a inteligência e sobre a capacidade de raciocínio e de abstração não estão comprovados. Extrapolou-se isso do facto de o estudo da música envolver várias capacidades, mas parece que afinal passa-se em sentido inverso, ou seja, são necessárias certas capacidades (não necessariamente uma inteligência extraordinária...) para estudar e fazer música e não que seja a música a desenvolver essas capacidades nas pessoas.

Pianoman disse...

Música??? quem falou em Música ???
Eu falei em Piano !!! Pi-a-no !!

hehehehee