domingo, setembro 12, 2010

A canção de Solveig



A primeira vez que vi este vídeo no canal Mezzo fiquei paralisada... não pela beleza desta magnífica canção, que já conhecia, mas pelo belíssimo timbre da cantora, Marita Solberg de seu nome, e pela intensidade da interpretação. Uma maravilha...


Foi então que me deparei com uma outra interpretação, aqui mesmo no Youtube, desta vez com a cantora Mirusia Louwerse sob direcção de André Rieu. André Rieu tem desenvolvido um grande (?) trabalho a levar a música dita erudita às massas. Mas ver e comparar este dois vídeos fez-me formular esta questão... será este trabalho de maquilhagem e de um certo "aligeiramento" (sapos e rãs incluídos) do grande repertório absolutamente imprescindível para que as grandes massas o apreciem?...

5 comentários:

Pianoman disse...

Magnífica canção, sem dúvida, que pertence ao meu imaginário infantil. Ouvia-a muitas vezes num velho gravador de bobines que o meu pai tinha.
Esta interpretação (o 1º vídeo) é deveras magnífica. Impressionante. Mas também, tendo em conta os intérpretes, não poderia dar em outra coisa.
O 2º vídeo só consegui ver alguns minutos. Não suporto André Rieu nem o seu estilo.

Já agora que falamos de Peer Gynt, há outra canção (mas da 1ª suite) que adoro: a morte de Ase. Conheces de certeza. É de ir às lágrimas. Sempre.
(podes ouvir AQUI uma interpretação, como o mesmo maestro, Neeme Järvi)

Ana Cláudia disse...

Isso é uma pena, pois significa que não chegaste à parte das rãs... ;)

Mas não respondeste à pergunta. Será este folclore todo mesmo necessário?! Será que um leigo que aprecie a segunda interpretação ão apreciará tb a primeira?... (mesmo que não perceba a diferença)

Raul Avelãs disse...

Eu já dirigi isto!! embora tenha sido apenas a versão instrumental. É fantástica, assim como o resto das suites.
Quanto às interpretações, a 1ª é divinal em todos os aspectos, a Marita Solberg tem um timbre lindíssimo e uma expressividade incrível (aquele salto de 8ª é arrepiante de tão belo). Já a bela adormecida, embora seja uma promessa já com muita qualidade, não lhe chega aos calcanhares. O resto é pura piroseira. Mas será que algumas das pessoas que estavam em Berlim começaram primeiro por ir aos concertos do Rieu?

Pianoman disse...

Queridissima amiga Ana Cláudia: eu respondo à tua pergunta (será este trabalho de maquilhagem e de um certo "aligeiramento" do grande repertório absolutamente imprescindível para que as grandes massas o apreciem?) com outra pergunta: Mas quem é que te disse que a Música Erudita precisa das massas?

Helena disse...

Ainda por cima e Marita é linda como um anjo! E então aquele público? Que maravilha, tudo em silêncio, num anfiteatro enorme, de dia ... Como seria em Portugal?
Quanto ao segundo video, é ao estilo da Sara "Brilhante". Não me diz nada. É apimbalhar a música!