terça-feira, julho 28, 2009

Tous les matins du monde...



Este excerto faz parte de um filme com o nome do post, sobre a vida de um tocador de viola da gamba, de seu nome Marin Marais e de seu mestre, Monsieur de Ste. Colombe. Infelizmente nunca consegui ver o filme, mas tenho e adoro a banda sonora, do magistral Jordi Savall.
A propósito da cena retratada no excerto, quem aparece a dirigir é o compositor Jean Baptiste Lully, afamadamente homem de muito mau feitio... reza a história que ele morreu devido a um processo infeccioso numa ferida causada pelo bastão com que dirigia, que acertou no pé com exagerada força...
Ainda bem que o nosso maestro nada mais usa do que as mãos para dirigir...

4 comentários:

Silvia disse...

Parece-me se muito bom! Vou ver se o descubro para ver.

Pianoman disse...

é verdade. Ainda bem que o nosso Maestro não usa um bastão. Não estou particularmente preocupado com a integridade física do Venerável Maestro, mas talvez mais com a dos coralistas (e pianista...), pois um bastão na mão em alguns ensaios (e concertos) poderia ser bastante tentador...

Pianoman disse...

ahhh...e lembrei-me agora:
Há outro filme engraçado que também é deste género: Le Roi Danse, conheces?
Também nele podemos ver Lully, entre outras personagens como Molière (outro com a mania das pancadas...) e Louis XIV.
Recomendo

Helena disse...

Olha, nunca se sabe?! Sempre pode vir de lá uma estalada ou uma murraça. Não seria para acertar em si próprio, mas, pior ainda, em algum de nós! E quem sabe se num ataque de ira, não fecharia furiosamente a tampa do piano, em cima dos deditos do nosso pianista! Ponham-se mas é, a páu!Chiça penico!!!!